AbcMed
A biópsia1 pulmonar é utilizada pelos pneumologistas sempre que outros exames não são capazes de esclarecer com precisão a doença pulmonar com que estejam às voltas. Nela retira-se, por meio de uma das técnicas apropriadas, um pequeno fragmento2 do pulmão3 que será analisado em laboratório.
1 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
2 Fragmento: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
3 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
   [Mais...]

Ortopedia e Saúde - 17/03/20
A fibrodisplasia ossificante progressiva (FOP), ou miosite ossificante progressiva, é um distúrbio no qual o osso se forma no interior do tecido1 muscular e/ou conjuntivo, como tendões2 e ligamentos3, os quais são gradualmente substituídos por osso (ossificados), formando um osso fora do esqueleto4, chamado osso extra-esquelético ou heterotópico.
1 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
2 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
3 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
4 Esqueleto:
   [Mais...]

Vida Saudável - 16/03/20
Em todos os estados brasileiros há casos suspeitos de infecção1 pelo coronavírus. O Brasil tem 200 casos oficiais de COVID-19, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde2 em 15 de março de 2020, às 19 horas e 15 minutos.
1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
   [Mais...]

A cefaleia1 orgástica, ou cefaleia1 copulogênica, é um tipo raro de dor de cabeça2 que ocorre apenas durante a atividade sexual, de modo especial durante ou imediatamente antes ou após o orgasmo. Essa dor de cabeça2 é dita primária quando não é causada por nenhuma outra condição ou distúrbio. Às vezes, as dores de cabeça2 durante o sexo podem resultar de alguma condição patológica e, nesse caso, são dores de cabeça2 ditas secundárias.
1 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
2 Cabeça:
   [Mais...]

A pericondrite é uma infecção1 que acomete o tecido conjuntivo2 que envolve a cartilagem3 do pavilhão auricular e/ou o canal auditivo. Normalmente, ela atinge toda a orelha4, com exclusão do lóbulo, que não possui cartilagem3.
1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
3 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
4 Orelha: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
   [Mais...]

Saúde da Criança - 11/03/20
A disquesia não é uma doença, mas um distúrbio funcional do trato gastrointestinal do bebê em que ele pode sentir vontade de fazer cocô sem, contudo, conseguir evacuar, ou precisar de muito esforço e muito tempo para fazê-lo.   [Mais...]
Vida Saudável - 10/03/20
Quando transita pelos pulmões1, a hemoglobina2 contida nas hemácias3 capta moléculas de oxigênio vindas do ar inspirado e posteriormente as libera nos órgãos e tecidos periféricos. A saturação de oxigênio é a fração de hemoglobina2 saturada de oxigênio em relação à hemoglobina2 total no sangue4. Os níveis normais de saturação arterial de oxigênio no sangue4 em humanos são de 95 a 100%.
1 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
2 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
3 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
   [Mais...]

Na proptose ocular, os olhos1 parecem saltar para fora da órbita, devido a um aumento no volume do tecido2 atrás deles. O termo proptose descreve a protusão para diante de qualquer órgão que é deslocado para a frente, enquanto a exoftalmia se refere apenas aos olhos1.
1 Olhos:
2 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
   [Mais...]

A colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) é uma técnica para diagnosticar e tratar problemas no fígado1, vesícula biliar2, ducto biliar e pâncreas3, que utiliza uma combinação de endoscopia4 luminal e imagens de raios X.
1 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
2 Vesícula Biliar: Reservatório para armazenar secreção da BILE. Através do DUCTO CÍSTICO, a vesícula libera para o DUODENO ácidos biliares em alta concentração (e de maneira controlada), que degradam os lipídeos da dieta.
3 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
4 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
   [Mais...]

Saúde Bucal - 05/03/20
A hipertrofia1 gengival, também conhecida como hiperplasia2 gengival, é um crescimento excessivo e anormal do tecido3 gengival ao redor dos dentes, encobrindo-os parcialmente. Esse aumento no tamanho da gengiva é uma característica comum das doenças gengivais.
1 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
2 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
3 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
   [Mais...]

Mostrar: 10
<< - < - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - > - >>
41 a 50 (Total: 2106)
  • Entrar
  • Assinar